Feeds:
Posts
Comentários

Archive for maio \26\UTC 2009

Um dos problemas de pele mais comuns no mundo são as famosas feridinhas que aparecem nos cantos da boca. Essas vesículas são na verdade, como bastante gente (mas nem todo mundo) já sabe são causadas por um vírus, o herpes virús tipo 2 (o herpes tipo 2 também pode causar herpes lábial mas ele costuma atacar mais a região genital).

Como saber se você tem herpes?

O local preferido de aparecimento do herpes é o cantinho da boca. Mas dependendo da pessoa ele também pode aparecer no canto do nariz, ou mesmo em outras partes do rosto, como nas bochechas. O vírus é o agente mais comum dessas feridinhas que volta e meia aparecem no mesmo lugar. Outra causa bem menos comum é uma reação alérgica a medicamento, ou seja, algumas pessoas sempre que tomam determinado remédio apresentam essa reação nos lábios.

Como saber se a herpes vai se manifestar?

Os tratamentos que existem para tratar a herpes funcionam melhor bem no comecinho da manifestação da doença (depois que a feridona está aberta, faz muito pouca diferença tratar ou não). Então é importante conhecer os sinais de que o problema está chegando!

Algumas pessoas podemn sentir uma senação de cansaço em geral um dia antes do aparecimento de alterações nos lábios. Tem pessoas sentem uma sensação de dormência ou de formigamento na região dos lábios, já outras sentem apenas um pequeno desconforto. Há ainda que sinta que a pele no local está mais lisa, como se os lábios estivessem mais preenchidos. Tudo isso pode significar que o herpes está a caminho. Fiquem atentos!

Qual é o ciclo da doença?

As feridas de herpes em geral duram entre 10 e 14 dias (tempo suficiente para arrasar a sua aparência em uma festa ou evento importante né?)

  • Primeiro as pele pode ainda está normal, mas pode começar a surgir uma vermelhidão discreta e um pequeno inchaço no local da pele que o vírus gosta de aparecer;
  • Grupos de pequenas vesículas (bolinhas de água) podem aparecer em cima desse local mais vermelho;
  • As vesículas quebram e formam uma ferida úmida que é a fase mais dolorosa da doença (e quando muita gente costuma tratar, mas já não adianta muito).
  • Depois forma-se uma crosta na ferida. Nessa fase é importante manter o local limpo para evitar uma infecção bacteriana secundária, já que a barreira protetora da pele foi afetada.
  • Por fim a área pode ficar ligeiramente vermelha por vários dias (às vezes até semanas) até que a cicatrização se complete.

O que faz a herpes aparecer?

Quem tem herpes está sempre com o vírus no organismo, mas ele fica lá dormindo, esperando uma oportunidade para se manisfestar (tipo um encontro com o namorado novo ou uma festa bacana, sabe como?). Algumas alterações estão sabidamente relacionadas com o aparecimento das feridinhas entre elas estão:

  • Estresse físico ou emocional (portanto tende manter a calma antes de datas importantes!!)
  • Resfriados e outras infecções.
  • Exposição ao sol (mais uma contra ele!)
  • Alterações hormonais (mulher sofre…)
  • Machucados ou lábios muito secos (portanto muito cuidado no inverno quando os lábios podem ficar rachados!)

É contagiosa?

O herpes vírus é um dos mais comuns no mundo. Quase todo mundo já teve contato e algumas pessoas, mais do que outras, acabam desenvolvendo a doença . Assim, tem muita gente que têm o vírus e não manifesta as feridas. Mesmo assim, por ser uma doença contagiosa é importante tomar alguns cuidados, especialmente com crianças pequenas (que tem menos chance de já terem sido expostas ao vírus e que podem desenvolver a doena de forma mais intensa porque ainda tem o sistema imune imaturo). Assim, é recomendável tomar alguns cuidados quando estiver com as feridas aparecendo (que é a fase mais contagiosa da doença):

  • Evite beijar ou fazer sexo oral quando estiver com as feridas,
  • Procure impedir que a criança com herpes fique chupando o dedo,
  • Não compartilhe copos, talheres, toalhas de rosto, ou seja, tudo que possa entrar em contato com a ferida enquanto durar o problema.
  • Lave as mãos com água quente e sabão após tocar a ferida e evite ficar tocando.

 Porque tratar?

 Tratando ou não o herpes costuma voltar pra sua caminha sozinho, mas é interessante tratar para diminuir o tempo da doença e diminuir a chance de que ela se espalhe para outras partes do corpo.

O tratamento é feito com Aciclovir creme (nome genérico cujo nome comercial de referência é o Zovirax que é um anti-viral que atua contra o herpes vírus). O ideal é tratar assim que as primeiras manifestações ocorram. Não tem problema tratar mais tarde, mas a tendência é que quando as vesículas já estão formadas o tratamento seja menos eficiente.

Como ter certeza que é herpes?

Pode-se observar o vírus diretamente no microscópio ou após uma cultura viral. Outra possibilidade é fazer um exame no sangue para saber se você tem anticorpos contra o herpes vírus (o que denota que você teve contato com o bicho). Mas na verdade poucas vezes esses exames são necessários já que apenas com a história do paciente e o exame da pele já é possível fazer o diagnóstico de herpes.

Agora o mais importante, o que fazer para evitar que a herpes apareça?!

  1. Use protetores labias com FPS especialmente quando for se expor ao sol ou ao vento.
  2. Evite situações estressantes e doenças que possam reduzir a sua imunidade (a vacina contra gripe é uma ótima medida antes de cada inverno).
  3. Descance sempre que possível. Noites varadas costumam acordar o vírus da herpes!
  4. Tome as medidas de higiene adequadas quando estiver com a ferida para evitar que a doença se espalhe.

E quando a mardita já apareceu?

  1. Evite espremer, beliscar ou tentar tirar as vesículas a força, só piora.
  2. Evite comer alimentos muitos ácidos ou muito salgados que pioram a dor no local.
  3. Lave a área com água e sabão neutro delicadamente.
  4. Se dor usar alguma coisa nos lábios (como batom ou protetor labial) quando estiver com as feridas, não use o produto diretamente e sim algo descartável como um cotonete, isso evita que você fique se recontaminando.
  5. Analgésicos comuns como dipirona, paracetamol ou ácido acetil salicílico podem ajudar a diminuir a dor.
  6. Se aparecer uma secreção amarela (tipo pus) perto das feridas, você pode ter adquirido uma infecção por bactérias no local, é hora de procurar um médico!

Mais aqui no Bulle

Só dá pra beijar boca cheirosa!

Uma noite de beleza!

Beija eu! Tudo o que você precisa saber para ter lábios lindos e saudáveis.

Read Full Post »

Gente, eu sei que ando meio ausente aqui no  blog. É que a vida real de estudante de quinto ano de Medicina, também conhecida como interna ou escrava, está consumindo muito do meu tempo. Hoje acabei o estágio na cirurgia e por isso estou com esse tempinho livre. Amanhã começo na pediatria e são plantões e mais plantões, então já viu né! Mas sempre que sobra um tempinho eu posto algo novo ou respondo algumas perguntas (mas todas gente é impossível, o blog tem uma média de 40 perguntas por dia, ou seja, acho que nem se eu fizesse só isso da vida hehe).

Bom, vamos ao assunto do dia. Muita gente pergunta de quanto em quanto tempo é necessário reaplicar o filtro solar para garantir uma proteção adequadada. A resposta não é assim super simples porque na verdade, depende.

Eu costumo indicar 4 rotinas de reaplicação de filtro, dependendo da atividade, da pele e do estilo de vida de cada pessoa. Vamos a elas.

1. Rotina super light (para quem tem a pele mais escura e passa o dia em locais fechados dando no máximo uma saída rápida na hora do almoço).  Aplicar o filtro solar de maneira caprichada pela manhã, não esquecendo o pescoço, as mãos, etc (enfim, protegendo toda a área exposta). E só.

2. Rotina light (para quem também passa o dia todo em local fechado, costuma usar maquiagem e tem a pele mais clarinha – essa é a minha rotina). Passar o filtro solar super caprichado de manhã igual a rotina de cima. Na hora do almoço reaplicar o filtro das áreas expostas do corpo (que também serve como hidratante) e usar um pó compacto com filtro solar + protetor solar labial na boca e em volta dos olhos (onde o pó não chega). Uma das opções de pó com filtro é o da dermage Block Compact FPS 25. Ele é ótimo para quem tem a pele mais sensível e oleosa mas é meio caro, R$ 105,00. Eu tenho usado o pó compacto com FPS 20 da Vult, que também tem vitaminas A e E. Ele é bem mais barato e na minha pele tem ido super bem, a Pati do blog Bem resolvida também aprovou e fez um post legal sobre a linha. Nossa carteira agradece 😉

3. Rotina ideal para quem trabalha em local fechado. Apesar da rotina de cima ser a minha eu sei que ela não é o ideal. O certo mesmo, seria lavar o rosto direitinho na hora do almoço e reaplicar o filtro direitinho. Mas eu confesso que não tenho tempo de fazer isso e ainda retocar a maquiagem (que eu não vivo sem, rsrsr). Então eu acabo lavando o rosto no meio do dia só quando eu transpirei muito ou quando vou passar um tempinho maior ao ar livre (algo que só tem acontecido nos meus sonhos, ultimamente). Mas é o certo. Essa rotina é mais necessária ainda para quem está fazendo tratamentos com ácidos tipo retinóioco e/ou hidroquinona, o que não é o meu caso.

4. Rotina forte (pra quem trabalha ao ar livre – delícia, para os dias de praia, para quem tem muita tendência a manchas ou para quem já teve câncer de pele). Aí não tem jeito. Tem que reaplicar mesmo de 3 em 3 horas no máximo, sem choro nem vela ou fita amarela ou a pele irá sofrer mesmo, com certeza.

É isso moçada, vamos continuar nos protegendo!

Mais aqui no Bulle.

Como passar filtro solar. Em vídeo!

Prepare-se para o verão parte II: Escolha seu protetor solar!

Read Full Post »

Esse

Esse post é uma sugestão de algumas leitoras aqui do blog (desculpem mas eu sou meio ruim para nomes!) que perguntaram se vale a pena tomar suplementos de galatina, tipo Gelamin ou outras gelatinas para deixar a pele mais bonita.

Na verdade muita gente confere à gelatina uma série de benefícios não só para a pele mas também para melhorar as articulações, perder peso ou então aumentar a massa mascular. Mas o que há de verdade nisso?

A gelatina é composta basicamente por proteínas, ou seja 80 a 90% do seu peso é proteína. Tem também água (mesmo se consumida em cápsulas ou pó) e sais minerais. Naturalmente é isenta de açúcar e de gorduras. Alguns suplementos como o Gelamin ainda colocam na composição vitamina A e C sobre as quais já falamos aqui no blog (a primeira é ótima para manter o bronzeado e a segunda atua como antioxidante). Então, de uma maneira geral não dá para dizer que faz mal consumir gelatina, ela é sem dúvida um alimento melhor do que sonho de padaria (no sentido saudável da palavra melhor,ok?)

Mas na verdade existem pouca comprovação científica sobre os benefícios atrelados a esse tipo de sumplemento. Por exemplo em relação a perder peso é óbvio que o suplemento de gelatina não engorda e que a gelatina diet preparada é uma alternativa interessante de sobremesa para quem está fazendo dieta. Mas ninguém vai emagrecer só porque está consumindo gelatina, entendem?

Em relação a saúde das articulações não há estudo que comprove o benefício dos suplementos de colágeno. O que pode ser ingerido que melhora os problemas nas juntas é o Omega 3 presente em alguns peixes e também vendido em cápsulas. Se for escolher entre colágeno e ômega 3 para articulações fique com o segundo.

Para quem está querendo aumentar a massa muscular as cáspsulas de gelatina podem ajudar mas também não são a melhor alternativa. Isso porque o colágeno não é uma proteína das mais completas. Nesse caso existem suplementos de proteína que oferecem uma gama mais completa de aminoácidos para quem está querendo ficar mais forte.

Para a pele é mais ou menos assim. O colágeno é sim um dos componentes que dá firmeza para a pele e que diminui com o envelhecimento, mas não é o único. O problema é que não se arrumou um meio de repor esse colágeno adequadamente a não ser através de preenchimento com injeção. Os cremes com colágenos paracem que não são absorvidos na pele e os suplementos orais como o Gelamin são digeridos no intestino e quebrados em aminoácidos, ou seja, depois que a gente come o colágeno deixa de ser colágeno…Assim  na verdade as únicas pessoas que melhorariam a pele com esses suplementos são aquelas que consome pouca proteína na alimentação e que portanto tem falta de proteínas para formação de colágeno na pele. Uma situação rara nos dias de hoje. Da mesma forma, só quem tem unhas fracas e cabelos quebradiços por problemas alimentares é que se beneficia desse tipo de suplemento.

No fim das contas então: os suplementos de gelatina não fazem mal, mas também não fazem milagre. Existem opções melhores no mercado. Para a pele por exemplo, suplementos vitamínicos como o Dermavite tendem a ser bem mais interessantes. No fim das contas é o que eu costumo falar aqui no blog. Para diminuir a velocidade do relógio tem que comer bem, não fumar e se proteger do Sol, o resto é perfumaria.

Beijos Rê (Que hoje comemora mais uma primavera de vida!!)

Mais aqui no Bulle

O Rejuvenescimento em Rs

Vale a pena usar produtos com DMAE na pele?

Flacidez: como lidar com o efeito gelatina?

Read Full Post »

Sabe como é a vida né? A gente resolve um problema e já começa a procurar outro. E como a minha pele anda “boazinha”, ou seja, com a oleosidade bem controlada comecei a reparar nuns vasinhos vermelhos que eu tenho em volta do nariz e no queixo. Não é nada assim muito grave (até porque nem bem tinha reparado antes), mas se aumentar pode ser que incomode.

Depois de reparar na gente, o segundo passo é sair buscando o defeito nos outros para não se sentir sozinha! rsrsrs E assim andei reparando que bastante gente (principalmente quem é mais branquinha como eu) tem esse problema de vasinhos.

Depois de descobrir o problema e ver que ele é comum o próximo passo é ir buscar soluções! Afinal ficar chorando as pitangas é que não resolve nada. Então se você também tem esses tipo de problema, vem comigo!

Os vasinhos, chamados tecnicamente de telangectasias, no rosto são diferentes dos vasinhos das pernas (onde são mais comuns). Nas pernas os vasos, ou varizes, aparecem porque o sangue fica parado e não consegue vencer a gravidade. No rosto os vasos aparentes são na verdade comunicações entre sangue arterial e o sangue venoso (com e sem oxigênio respectivamente, para quem não lembra das aulas de biologia).

Eles são em geral bem superficiais, pioram com a exposição ao Sol (mais um motivo para usar protetor e evitar a exposição) e também com o uso de medicamentos tópicos principalmente os a base de ácido retinóico e corticóides. É por isso que quem tem tendência a vasinhos no rosto deve evitar ao máximo o ácido retinóico para não causar um problema tentando curar outro. Quem fez cirurgia plástica na face também tem mais risco de desenvolver os tais vasinhos.

No rosto os locais mais atingidos são em volta dos olhos, nas bordas do nariz (eu!) e na bochecha (esses muito sensíveis ao ácido retinóico), no queixo (eu de novo!) e nas mandíbulas. Resumindo, podem aparecer quase em qualquer lugar do rosto.

Existem basicamente 3 tipos de tratamentos estéticos para os vasinhos (além de camuflar com corretivo): cauterização, escleroterapia (as famosas “aplicações” que são feitas também nas pernas) e laser – que pode ser o diodo ou luz intensa pulsada.

O que vai determinar o melhor tratamento é o local dos vasinhos, a quantidade e pronfundidade dos mesmos. Dependo da profundidade é feita anestesia tópica com pomada ou pode ser necessária anestesia local.

Um artigo da sociedade brasileira de medicina estética (clique aqui para ler o artigo completo com fotos ante e depois dos tratamentos) diz que os lasers vasculares modernos têm uma ótima aplicação nas telangiectasias da face. Apesar de serem a melhor opção atual, isto não significa que não tenham complicações nem que isoladamente resolvam todos os casos. Os bisturis de eletrocoagulação e de radiofreqüência são bem indicados em toda zona T da face (mento, lábios, nariz, testa) por ser uma área com alto poder de cicatrização. Áreas com maior risco de hipercromia como a região malar (bochechas), a região temporal e muito em especial, a região mandibular, necessitam sessões mais brandas e algumas vezes condicionamento prévio da pele. A escleroterapia é um método seguro para a região malar, mandibular e temporal. No entanto, é a que exige maior habilidade com a técnica.

Todos os tipos de tratamento podem causar manchas escuras na pele. Então para quem é suscetível em geral indica-se preparar a pele com ácidos a base de hidroquinona para evitar trocar um vasinho por uma mancha. De qualquer forma denpendendo do local e da profundidade do vaso as manchas escuras podem ser inevitáveis mas na maioria das vezes o problema é passageiro. Claro que você já sabe que tem que caprichar no filtro solar também para evitar essas manchas né?

Leia mais sobre o assunto aqui no bulle:

Belas mamães (como tratar os prejuízos estéticos causados pela gravidez): parte 3 – Varizes

Pele vermelha? Mega post com muitas informações sobre Rosácea.

Porque temos pele de morango quando queríamos ter pele de pêssego, ou, o que fazer para fechar os poros?

Ácido Retinóico: a vitamina que faz maravilhas para a pele.

Read Full Post »

dna

A genética é uma das áreas mais promissores da medicina em termos de tratamento para uma série de doenças. A partir do decodificação do nosso DNA abriu-se um campo enorme para pesquisas que possam trazer enormes avanços.

Potinho da juventude?

Potinho da juventude?

Na esteira desse conhecimento foram lançados e estão sempre aparecendo produtos novos que vendem a idéia de uma nova tecnologia, baseada em estudos genéticos. O mais novo deles é o Génifique da Lancome (o produto ainda não foi lançado no Brasil, mas está sendo vendido lá fora há pouco tempo por cerca US$ 78,00 no site da empresa)

Para avaliarmos a eficácia desse tipo de produto temos que fazer algumas considerações.

1. Um cosmético que efetivamente tivesse a capacidade de alterar a estrutura do DNA da célula teria um potencial cancerígeno. Não é o caso do produto da Lancome e de outros cosméticos do gênero. Assim, nenhum cosmético atua diretamente no DNA.

2. Pela lesgislação do FDA americano nenhum cosmético pode alterar a estrutura ou a função da pele, caso isso aconteça ele deixa de ser considerado um cosmético e passa a ser considerado um medicamento (vendido apenas com prescrição médica).

3. Os cosméticos atuam a nivel da epiderme. A epiderme é a camada mais superficial da pele que tem em média entre 1 milímetro (na sola do pé) até 0,3 milimetros (nas pálpebras) de espessura. Então os cosméticos só teriam teoricamente a capacidade de atingir essa profundidade de rugas e portanto só podem afetar as linhas mais finas.

Isso significa que o Génifique não funciona? Não exatamente. O produto da Lancome não atua nos genes, mas ele pode  atuar nas proteínas que circundam os genes, proteínas essas que diminuem a sua atividade com o passar do tempo. Essas proteínas podem, junto com os outros componentes do produto melhorar a aparência da pele, deixando-a mais firme e luminosa e também reduzir as linhas finas. A favor do produto temos também 10 anos de pesquisa e 7 patentes internacionais.

No site americano makeupalley, o produto foi bem avaliado, tirando no 4,3 (entre 5 possível) entre as consumidoras que testaram o produto, sendo que cerca de 80% delas voltariam a comprar. É bastante coisa. Além disso pesquisando no google praticamente só li avaliação boa de quem testou o produto e comentou em seu site ou blog.

O Génifique pode ser considerado o principal lançamento da indústria cosmética nos últimos anos mas não é o primeiro a propagandear a tecnologia genética.

A Nivea já vende há bastante tempo o DNAge com ácido fólico e creatina, que também teriam a capacidade de atrasar os ponteiros do relógio da pele. O produto não foi tão bem avaliado no makeupalley, recebendo nota 2,2. Mas o principal motivo da nota baixa foi por reações na pele sensível e não pelo fato do produto não melhorar a aparências das rugas. Então fica difícil comparar um com o outro.

Existe também um outro produto chamado DNA face cream que tem uma proposta diferente: criar um cosmético antiidade de acordo com o DNA individual de cada pessoa, de forma que o produto possa atender as nossas necessidades específicas.

A idéia é atraente, mas infelizmente a medicina ainda não chegou nesse nível e a eficácia desse tipo de tratamento ainda não foi comprovada em estudos, portanto ainda não tem base científica. Poderíamos até com uma análise da amostra da pele em microscópio compreender melhor como está a sua estrutura e que tipo de produto seria mais interessante e a partir daí criar um produto mais adequado para cada pessoa. Mas isso não tem nada a ver com DNA ou engenharia genética e não justificaria o alto preço cobrado pelo produto. Nessa matéria aqui da Revista Istoé a questão está bem abordada pelos dois lados.

Enfim: é o futuro, mas ele ainda não chegou! Por hora eu prefiro não ser cobaia (até porque minha mamãe ficaria bem nervosa rsrsr) e continuo preferendindo os potinhos tradicionais.

dna

Read Full Post »