Feeds:
Posts
Comentários

Archive for the ‘Cremes’ Category

Aconteceu no início do mês passado o Congresso da Academia Americana de Dermatologia e entre várias novidades apresentadas uma das que mais chamaram atenção foram as novas alternativas para tratamento do melasma (demorei para escrever sobre o assunto porque fui atrás dos produtos para vocês, como não pude ir no Congresso não queria só dar um copy-paste no texto da SBD como muitos blogs fizeram por ai…)

As manchas escuras na pele são uma das queixas estéticas mais comuns. Algumas pessoas acreditam até que uma pele manchada dá mais aparência de envelhecimento do que uma pele enrugada. E se para rugas existem uma série de tratamentos eficientes e rápidos, para manchas as alternativas são bem menores. Os tratamentos em geral são super demorados, tem que ter muita disciplina e o resultado nem sempre é aquele esperado.

Segundo o site da SBD (sociedade brasileira de dermatologia) foram apresentados 2 novos tratamentos para Melasma. No primeiro, “a promessa está numa enzima chamada lignina peroxidase. A proposta é um produto em forma de creme que age quebrando a melanina (responsável pela pigmentação da pele) sem causar toxicidade. O produto pode ser usado duas vezes ao dia, inclusive em grávidas, sem causar irritação ou efeitos colaterais como os do acido retinóico e hidroquinona. A promessa é uma pele mais clara e com aparência mais homogênea após um mês de uso diário”.

Fui atrás dessa novidade para saber da sua disponibilidade no Brasil. Aqui, como no resto do mundo, o produto só estará disponível por enquanto nos consultórios de dermatologistas e nas clínicas de estética (não sei como é que as pessoas vão conseguir passar duas vezes ao dia dessa maneira…). O nome comercial é Ellure. O princípio ativo, que foi patenteado com o nome de Melanozyme, é derivado de cogumelos e mostrou boa tolerância na pele humana com baixo percentual de irritação. Ele atua de uma maneira diferente dos clareadores tradicionais porque efetivamente destrói a melanina da pele, enquanto os outros diminuem a sua produção. É por isso que os resultados são mais rápidos. Claro que se a pessoa deixar de usar o produto e tomar Sol a melanina continua a ser produzida e as manchas retornam em cerca de 3 semanas. Nesse site tem uma explicação bem boa (em inglês) com uma entrevista com um dos desenvolvedores da novidade . O produto foi aprovado pelo FDA.

A segunda novidade, segundo o site da SBD “é um sistema de clareamento com 3 produtos: um limpador, um produto contendo a decapeptídeo e um creme à base acido glicólico para facilitar a penetração. O decapeptídeo atua inibindo a tirosinase, enzima responsável pela produção de melanina. Nas pesquisas realizadas “in vitro” o decapeptídeo mostrou-se 17 vezes mais potente que a hidroquinona, sendo mais seguro também.” Esse produto atende pelo nome comercial de Lumixyl , foi desenvolvido na Universidade de Stanford, também foi aprovado pelo FDA e ainda não está disponível no Brasil. Os estudos compararam o produto com a hidroquinona a 2% (o que não é lá muito justo porque a hidroquinona normalmente é formulada a 4%) e demonstraram melhores resultados com menos efeitos colaterais, essa melhora não foi quantificada e eles alegam que estão ainda fazendos testes confirmatórios.  Os testes in vitro, segundo o site do próprio Lumixyl disseram que o produto foi 5.5 vezes (e não 17 vezes mais potente que a hidroquinona…) mas testes in vitro não necessariamente se confirmam in vivo, ou seja, na nossa pele.

Os resultados podem ser vistos a partir de 2 meses de tratamento, também duas vezes ao dia. O dermocosmético pode ser comprado nos EUA e não é necessário prescrição médica, já que não é considerado um medicamento. O preço é salgado. O kit completo (com 4 produtos: o clareador, o filtro solar, o sabonete e o peeling de ácido glicólico sai por US$ 273, se quiser só o clareador fica em US$ 120,00)

Resumindo: são novidades promissoras, mas ainda pouco disponíveis e muito caras. Mas como a queixa é grande no mundo todo, tem muita gente pesquisando e tentando descobrir o produto ideal que seja “o botox das manchas”afinal todo mundo quer ganhar dimdim, não é mesmo?

Mais aqui no Bulle

O que existe para clarear a pele?

Ácido Kójico:para ficar com pele de gueixa!

Hidroquinona é capaz revelar a sua beleza?

Belas mamães (como tratar os prejuízos estéticos da gravidez): parte 2 – Melasma

 

 

 

Read Full Post »

Essa é uma das perguntas mais comuns no blog, mas que eu não tinha pensado em transformar em post até que foi sugerido por uma leitora querida. Então a primeira questão é: a ordem dos fatores altera o produto? E a resposta é sim. Faz diferença aplicar os creminhos na ordem certa, já que alguns produtos podem dificultar a absorção de outros pela pele.

A regrinha básica é a seguinte: primeiro os produtos mais levinhos, a base de água ou gel, depois os produtos um pouco mais encorpados como loções e por último os cremes mais pesadões. Essa regra funciona porque os cremes mais leves não conseguem passar pelos pesados, chegar na pele e ainda ter o efeito desejado.

Outra regra básica é em relação ao filtro solar. Devido a sua importância (se você tiver dinheiro para comprar só um produtinho de beleza invista no filtro solar) ele deve ser o primeiro a ser aplicado na pele, para garantirmos a sua absorção máxima.  Mas existe sim uma exceção a essa regrinha. Os filtros físicos (aqueles a base de dióxido de titânio ou óxido de zinco) não são absorvidos pela pele e tem como função refletir os filtro solares. Portanto os filtros físicos devem ser aplicados por último. Quem quiser saber mais sobre a diferença entre os filtros tem um post bem bacana no beauty blog sobre o assunto.

Vamos à prática. Quem usa a noite um produto a base de ácido retinóico e um hidradante com ativos antioxidante, deve aplicar primeiro o ácido e depois o hidratante. De manhã quem usa o filtro solar, um creme com vitamina C e maquiagem deve seguir essa ordem mesmo para que tudo funcione da maneira mais eficiente.

Quem fala inglês pode ver o vídeo com o Dr. Neal Schultz. Ele explica de maneira bem didática sobre essa questão da ordem dos produtos.

Dúvidas? Angústias? Não captou a mensagem? É só perguntar nos comentários!

Beijos

Renata

Mais aqui no Bulle:

Como tirar o máximo proveito dos seus produtos de beleza.

Como passar cremes noturno. Em vídeo!

Como passar filtro solar. Em vídeo!

Read Full Post »

creme-rosto.jpg (557×170)

Esse post foi sugestão de uma leitora querida desde o início do blog (que agora tem sua própria casa virtual sobre o mundo das lingeries que vale a visita). Ela quer saber se é mito ou verdade que com o tempo a pele vai se acostumando e com o tempo os nossos amados produtinhos de beleza deixam de fazer efeito.

Eu pesquisei sobre o assunto em diversos lugares que divulgam artigos científicos, já que a idéia do blog é trazer sempre informações embasadas, mas não encontrei nenhum estudo que de fato fosse acompanhando a variação do efeito dos medicamentos tópicos ao longo do tempo. Então o post é baseado mais na lógica mesmo, ok?

Vários medicamentos, entre os mais conhecidos estão os psicotrópicos, tem uma característica de desenvolvererem tolerância. Tolerância em termos médicos significa que para obter o mesmo efeito do início eu tenho que ir gradativamente aumentando a dose do remédio se não ele fica sem efeito. É como se o corpo se acostumasse mesmo com o remédio.

Na pele isso pode até acontecer, mas de uma maneira diferente. Por exemplo quando se começa um tratamento com ácido retinóico no início a pele sente mais. Fica vermelha, descasca etc e tals, mas com o passar do tempo vai tolerando melhor o produto. Por isso muitas vezes os médicos começam o tratamento com concentrações menores, ou pedem para o paciente usar o produto primeiro em dias alternados, até que a pele “se acostume”. Isso pode até ser considerado positivo, mas por outro lado torna necessário o acompanhamento médico mais de perto. Não basta uma consulta com o dermatologista para garantir uma rotina adequada para o resto da vida. A sua pele vai mudando e as necessidades dela também.

No caso de produtos como hidratantes e outros antienvelhecimento o que acontece  não é a pele que se  acostuma, é  nós que queremos sempre mais mudanças para melhor. No início a gente sente “aquele” efeito já que a pele estava muito carente de cuidados. Ocorre que mesmo com os produtos a pele continua envelhecendo e parece que o produtos não estão funcionando mais. Nesse caso se a pessoa deixa usar os cremes vai perceber que os produtos estavam sim cumprindo o seu trabalho. Mesmo assim, como os hidratantes tem função mais ou menos semelhante não é uma má idéia trocar de marca por um tempo se achar que a eficácia diminuiu. Funciona mais o menos igual ao que ocorre com os shampoos e condicionadores, é bom variar de vez enquando.

Outro fator importante e que de fato diminui a eficácia dos produtos com o tempo é como eles são conservados. Isso porque a luz, a umidade, e a contaminação por bactérias pode sim diminuir o efeito esperado e até causar danos na pele. Produtos antiacne, por exemplo, quando contaminados por bactérias podem estupir os poros, e assim causar o problema que estamos querendo tratar com o produto.

Por isso é superimportante tomar cuidados de higiene para evitar que os produtos se contaminem e percam as suas características originais. Para tanto algumas dicas básicas.

1. Mantenha os produtos longe da luz, do calor intenso e da umidade. Não precisa titia Renata falar que o banheiro não é o local ideal para eles, certo?

2. Deixe sempre tudo bem fechadinho com tampa.

3. Evite enfiar o dedão dentro dos potes. As espátulas servem para isso. Se o produto não vier com espátula um algodão ou um cotonete pode fazer bem a função.

Combinado?

creme-rosto.jpg (557×170)

Mais aqui no bulle

Como tirar o máximo proveito dos seus produtos de beleza.

Dicas para manter os seus produtos de beleza mais frescos

Como saber a validade dos produtos de beleza?

Como saber a validade dos produtos de beleza (parte II)?

Como passar cremes noturno. Em vídeo!

Read Full Post »

Pois é amigos! Eu estou passando agora no estágio de endocrinologia. E nesse estágio, onde a gente trata muitos doentes crônicos, com diabetes, hipotiroidismo, obesidade, etc, eu descobri uma realidade importante (que na verdade eu já imaginava mas não pensava que a situação era tão grave): pouquíssima gente faz alguma coisa todo o dia só pra ser saudável. Se fazer  for ruim, não der prazer, a gente se autoengana e acaba deixando de lado as  “recomendações médicas”.

É assim com paciente que precisa tomar insulina, é assim, com paciente que precisa seguir dieta rígida, é assim com quem tem que tomar um simples comprimido pela manhã. A graaaande maioria não é disciplinada, essa é a verdade.

Pra gente querer fazer todo dia tem que ser bom!

E se é assim também  quando a gente fala dos assuntos aqui no blog. Vamos pensar, por exemplo, no filtro solar. Não basta a gente saber (e ler várias vezes) que o filtro solar é o melhor tratamento de beleza que existe, que é a melhor forma de prevenir um monte de doenças de pele, que evista e trata rugas, manchas, etc.

O que acaba acontecendo é que se a gente não sente prazer usando o filtro solar, se não é gostoso, no primeiro dia nublado a gente deixa de usar, no segundo dias mais fresquinho a gente passa metade da quantidade que devia e assim por diante.

Por isso amigos, todo mundo me  pergunta se esse filtro solar é bom, se aquele é eficiente, se maquiagem com FPS funciona mesmo, mas a principal regra é a seguinte: o melhor filtro solar do mundo é aquele que você gosta de usar. Que dá vontade de passar no rosto, seja pela textura, pelo cheiro, pelo acabamento que ele dá na pele, ou mesmo pelo charme da embalagem.

Assim, filtro solar bom é aquele que você usa todo dia! Portanto invista tempo para descobrir o seu queridinho! Algumas farmácias bacanas (como por exemplo as do shopping Iguatemi São Paulo e Campinas) deixam você experimentar os produtos na sua pele. Faça isso quantas vezes for preciso.

Eu tomeria sorvete todo dia, até no invernão!

Se não gostar de nenhum continue procurando, pode ser que você encontre uma base com FPS que seja gostosa, ou mesmo um pó com filtro solar. O importante é ser prazeroso o suficiente para você querer usar todos os dias.

Por que é assim, filtro solar, tem que ser que nem sorvete, pra gente querer sempre mais!

 

Read Full Post »

Faz tempo que eu tinha prometido um post sobre hidratantes. Mas sabe como é, a vida por aqui anda corrida e o tempo vai passando e às vezes eu até esqueço as minhas promessas!

Mas a gente tarda mas não falha então hoje resolvi escrever sobre esse ingrediente importante na rotina da pele. Afinal todo mundo quer ter uma pele mais macia.

Os hidratantes são o meu sonho de consumo em termos de creminhos. Quem está acostumada a passar cremes nada cheirosos e sentir depois a pele arder, repuxar, descamar entende o que eu estou falando. Tem coisa mais gostosa do que um creminho cheiroso que deixa a pele macia? Só sexo e chocolate né? 

Os hidratantes previnem e tratam o ressecamento da pele. E não é só: eles também protegem a pele sensível, melhoram o tônus e a textura da pele e escondem imperfeições. Na verdade a gente pode encontrar no mercado hidratantes que prometem resolver qualquer problema de pele que você tenha, de descamação a poros abertos, mas será que eles entregam o que prometem?

Quais os ingredientes dos hidratantes?

Os hidratantes funcionam de duas maneiras: atraindo água para a área superficial da pele ou atuando como barreira impedindo que a água evapore. Os ingredientes em geral são compostos por umectantes e emolientes além de outros ingredientes.

  • Umectantes: ureia, glicerina, alfahidróxi ácidos, entre outros. São as substâncias que absorvem água do ar e seguram a umidade na pele. Por isso, para funcionar esses ingredientes precisam ser aplicados em lugares com maior umidade do ar, caso contrário não tem de onde puxar água, né!. Eles também são úteis para deixar a pele mais macia.
  • Emolientes: lanolina, óleo mineral, petrolatum entre outros. Esses ingredientes preenchem os espaços entre as células da pele, ajudando a repor o óleo e lubrificando a pele. Eles podem ter base oleosa ou aquosa. Os emolientes a base de óleo fixam melhor na pele e duram mais. Já os emolientes a base de água são mais fáceis de aplicar, não deixam muitos resíduos mas saem mais facilmente.
  • Fragrância: é o perfume colocado nos hidratantes para dar aquele cheiro gostoso. Mas cuidado porque são a principal causa de reações alérgicas que ocorrem nesse tipo de cosméticos.
  • Preservativos  Conservantes (assim não dá margem pra dúvida rsrs): qualquer produto que contenha água ou óleo na sua compoisção precisa de conservantes para evitar a contaminação por bactérias. Eles evitam que você ganhe uma infecção ao aplicar um cosmético mas também são responsáveis por algumas reações alérgicas ou irritativas na pele.

Os hidratantes também podem vir com uma série de outros ingredientes como vitaminas, minerais, extratos de plantas, filtro solares ou auto-bronzeadores. Alguns também contém ingredientes que prometem reduzir rugas, estrias, poros, etc, etc, etc. Mas nada disso tem comprovação científica. Lembrem-se que hidratantes são classificados como cosméticos. Cosméticos não podem alterar a estrutura da pele e não penetram a derme (camada mais profunda da pele), caso fizessem isso passariam a ser classificados como medicamentos. Então não pague fortunas nem espere milagres dos hidratantes. Em geral, tirando o cheiro, a textura e a embalagem não existe diferença real entre o mais caro e o mais barato dos hidratantes disponíveis no mercado.

Qual o melhor hidratante para você?

Pele normal: Os melhores hidratantes são os a base de água, que deixam a pele com uma textura gostosa e são fáceis de aplicar. Esses hidratantes também podem conter óleos leves como cetil alcool ou ingredientes derivados do silicone como a ciclometicona. Lembra do silicone como primer?

Minha dica de hidratante para pele normal

pele normal

 

Pele seca: para recuperar a pele escolha um hidrantante mais pesado, com base oleosa que contenha ingredientes como uréia ou propilenoglicol. Para as peles muito ressecadas a base emoliente em óleo é melhor porque ela dura mais e faz uma barreira protetora mais eficiente.

Minha dica de hidratante para pele seca:

pele seca

Pele oleosa: há quem diga que a pele oleosa não precisa de hidratante e eu até concordo. Na minha rotina o hidratante vai para o corpo e no rosto eu acho que só o filtro solar já está mais do que bom. Mas quem está fazendo tratamento com ácidos por exemplo, ou usando isotretinoína oral, pode sentir a pele muito ressecada. Nesse caso pode-se usar um hidratante no rosto durante o dia, procurando produtos que sejam não comedogênicos e que contenham ácido salicilico.

Minha dica de hidratante para pele oleosa

pele oleosa

Pele sensível: As peles sensíveis são mais propensas a vermelhidão, descamação e coceira. Por isso prefira um hidratante livre de fragrâncias e ingredientes irritantes, lembra deles?

Minhas dica de hidratantes para pele sensível

pele sensivel

Pele madura: Conforme o tempo passa, a pele tende a ficar mais seca, já que a sua produção de óleo vai diminuindo. Para manter a pele macia, procure um hidrantante com base oleosa como o petrolatum, adicionado de umectantes como ácido láctico ou alfahidróxi ácidos.

Minha dica de hidratante para pele madura:

pele madura

Como tirar maior proveito do seu hidratantes.

  1. Escolha um produto adequado para seu tipo de pele e suspenda o uso se sentir a pele pior, hidratantes só devem melhorar a pele!
  2. Lembre-se que o preço nada tem a ver com a eficiência do produto.
  3. Aplique o hidratantes logo depois do banho ou depois de lavar o rosto assim você consegue “prender” aquela umidade que fica na pele. Quem aplica mais de um produto além do hidratante pode fazer nessa ordem: limpeza-creme de tratamento-hidratante-filtro solar-maquiagem (ufa!)
  4. Não use cremes pesados na sua pele a não ser que ela seja super seca. Deixe os cremes pesadões para os pés, mãos e cotovelos onde até a mais oleosa das pessoas tende a sentir ressecamento.

Suspenda o creme e procure um médico sempre que apresentar reações na pele importantes após o uso de qualquer cosmético.

Read Full Post »

dna

Só de ouvir a palavra quimioterapia, muitas pessoas já sentem um arrepio na espinha.  Não só porque quimioterapia lembra câncer, uma palavra que até hoje tem gente que se recusa a pronunciar, mas também porque os efeitos colaterais da quimio são tão ou mais famosos do que os seus benefícios no combate aos tumores: vômitos, queda de cabelo, desmaios são as palavras que vêm a cabeça quando se pensa em quimioterapia.

Mas, alguns pesquisadores repararam que as pessoas que usavam um certo tipo de quimioterapia o Fluoracil, usado no tratamento do câncer de cólon, pâncreas, cabeça e pescoço entre outros apresentavam uma melhora significativa na pele, especialmente no que se refere aos danos causados pelo sol. E foi a partir dessa observação que se decidiu testar o uso tópico do Fluoracil na pele foto-envelhecida.

A pesquisa (cujos detalhes, em inglês, vocês podem encontrar aqui) contou com 21 voluntários que se dispuseram a usar um creme com Fluoracil a 5% duas vezes ao dia por 2 semanas e foi pedido que eles examinassem a sua pele nesse período e pelas 22 semanas seguintes. A pele desses volutários também foi analisada por 3 dermatologistas que não faziam parte da pesquisa. 

O estudo concluiu melhora significativa na pele dos volutários, sendo que o número de lesões solares caiu de uma mé de 11,6 para 1,5 após o tratamento. As biópsias confirmaram essa melhora e demonstraram um aumento da quantidade de prócolágeno no final  da pesquisa.

Mas o tratamento é duro. A pele fica muito sensível, descamativa e dolorida e coçando. A quimioterapia não é um creminho hidratante qualquer e o tratamento é sofrido. Apesar disso 89% dos voluntários disseram que fariam o tratamento novamente. Vale ressaltar que a pesquisa foi patrocinada pelo laboratório que fabrica o creme, mas acaba de ser publicada numa respeitada revista científica de dermatologia.

O creme com fluoracil a 5% é vendido no Brasil com o nome de Efurix. Ele é normalmente indicado para as lesões de pele pré-malignas e malignas, mas não como tratamento cosmético. Como qualquer medicamento é necessário indicação e supervisão médica.

E eu fico pensando cá com meus botões o que uma conhecida minha, natureba de carteirinha, que considera um absurdo receitar antibiótico contra acne, pensaria dessa novidade. Muita gente certamente achará um absurdo, mas na prática o fluoracil nada mais é do que um composto químico como outro qualquer. Se é remédio, ou é veneno depende de como se usa né?

dna

Read Full Post »

Uma das queixas e perguntas mais comuns que recebo aqui no blog é sobre como clarear manchas na pele. A origem das manchas é diversa: melasma pós gravidez, de cicatrizes de acne, de picadas de inseto, machucados, sardas por excesso de sol. Tudo isso pode manchar a pele.

As manchas ocorrem porque a pele depois que é agredida (seja pelo sol, seja por algum tipo de machucado) reponde produzindo mais melanina com o objetivo de ficar mais resistente. Alguma dessas alterações saem sozinham com o tempo, mas muitas vezes, especialmente quando a agreção é crônica a mancha fica lá e não sai mais.

Sabendo dessa queixa comum, a indústria coméstica está sempre buscando ingredientes que possam amenizar as manchas e clarear a pele. Mas infelizmente não existe um clareador perfeito. Ou seja, um produto que seja ao mesmo tempo eficiente e seguro e não traga efeitos colaterais.

O ingrediente mais usado contra manchas é a hidroquinona. Já falamos detalhadamente desse ingrediente aqui. Ela ainda é considerado o agente mais eficiente e por ser o mais antigo, os novos clareadores são sempre comparados a ela nos estudos. A fórmula que associa a hidroquinona com o ácido retinóico e corticóide com efeito anti-inflamatório, presente em medicamentos (lembrem-se, medicamentos tem efeitos colaterais e precisam de prescição médica!) como o tri-luma, ainda é a que mais clareia a pele, segundo os estudos mais recentes. Deviso aos seus efeitos colaterais e os potenciais riscos a longo pra a hidroquinona foi proibida em diversos países (especialmente na Europa e na Asia) e isso aumentou ainda mais a procura por novos ingredientes. Alguns deles já falamos aqui no blog.

Mequinol

O mequinol, que foi citado pelo Fernando nesse post aqui, é um desses substitutos. No Brasil é vendido em concentração de 10% como medicamento. Nos EUA a concentração máxima do produto vendido com receita médica é de 2% associado ao ácido retinóico a 0,01% e vitamina C.  Não se sabe exatamente como o ingrediente funciona mas aparentemente ele bloqueia uma enzima que estimula a produção de melanina na pele. Ele não faz os mesmos danos ao melanócito que a hidroquinona, ou seja, não teria efeito cancerígeno, mas a efetividade apresentada nos estudos em termos de clareamento da pele é menor. O principal problema apontado nos estudos em relação ao mequinol é que especialmente em peles mais escuras tem ocorrido re-pigmentação da pele após a suspensão do uso do medicamento. Assim, como a hidroquinona o mequinol é fotosensível e deve ser usado com proteção solar intensa para evitar que a pele fique ainda mais manchada com o seu uso.

Retinóides

Os derivados da vitamina A também podem ser usados isoladamente para clarear a pele, mas em geral seu efeito é mais como potencializador de outros despigmentantes sendo usado isoladamente apenas nos casos bem leves. Aumentar o consumo de vitamina A na dieta, porém, é uma estratégia interessante que deixa a pele mais resistente aos danos provocados pela exposição solar de maneira preventiva.

Ácido Azeláico

O ácido azeláico a 15%, é o terceiro medicamento despigmentante e comumente indicado no tratamento da Rosácea. Já falamos dele aqui no blog. Eu uso e estou gostando bastante do resultado. Ele atua especialmente na síntese  de DNA dos melanócitos defeituosos então também tem o efeito de previnir a progressão de células canceígenas. Em contrapartida o seu efeito despigmentante é menor se comparado a hidroquinona ou ao mequinol.

Arbutin

O arbutin é considerado o despigmentante cosmético (ou seja, pode ser vendido no balcão das farmácias sem receita médica) mais eficiente atualmente disponível. Ele é muito usado no Japão em concentração a 3%. É chamada da hidroquinna natural, or ser proveniente de alguns vegetais. As pesquisas indicam que o Arbutin não danifica os melanócitos, sendo seu uso considerado seguro. As concentrações mais altas parecem ser mais eficientes mas muitas vezes trazem pigmentação rebote quando a pele fica muito irritada. No Brasil alguns produtos contém Arbutin como o Dermatus Skin Plus Fluido Clareador e o Klassis (que contém também ácido glicólico e ácido kójico e é o produto que eu mais gosto para quem quer usar um clareador durante o dia).

Ácido Kòjico

É outro despigmentante bastante usado no oriente e sobre o qual já falamos bastante aqui no Blog. Assim como os outros é mais seguro mas porém menor eficiente do que a hidroquinona. A vantagem é que pode ser usado também durante o dia.

Outros ingredientes como a vitamina C, o Aleosin, a soja, a N-acetyl glucosamine e o extrato de licorice são outros agentes que vem sendo utilizados e testados pela indústria cosmética como despigmentantes mas os efeitos ainda são modestos e em geral, esses ingredientes são usados de maneira associada para aumentar um pouco a sua eficácia.

Além de tudo sempre é bom lembrar que mesmo o produto mais eficiente tem seu efeito bastante lento. São necessários em geral meses e persistência e disciplina (sem falar em dim dim, já que os despigmentantes tendem a ser bem caros) para ver algum resultado.

Portanto nunca é demais falar que a prevenção, evitando ao máximo expor a pele ao so e aos mosquitos e também não espremer as espinhas é de longe a melhor estratégia para evitar as indesejadas manchas escuras.

Mais aqui no bulle

Pós Roacutan: Como tratar as cicatrizes de acne?

Creminhos anti-idade para iniciantes

Como passar cremes noturno. Em vídeo!

Belas mamães (como tratar os prejuízos estéticos da gravidez): parte 2 – Melasma

Read Full Post »

Older Posts »