Feeds:
Posts
Comentários

Posts Tagged ‘ácido retinóico’

Mais um post sugerido pelas leitoras do blog, esse pela Flávia aqui.

Eu sempre escreve para todo mundo que pergunta (e como tem gente que pergunta!) nos posts sobre ácido retinóico e hidroquinona que é sempre super importante lavar bem o rosto pela manhã para retirar o produto e depois passar um filtro solar eficiente (de pelo menos 30) já que esses ingredientes se presentes na pele exposta ao sol podem trazer manchas difíceis de serem removidas.

Isso ocorre porque tanto o ácido retinóico são ingredientes fotosenssíveis ou seja, eles estimulam a produção de melanina ao contato com a luz do sol. Mas o que fazer no verão: só o cuidado de lavar e usar filtro solar é suficiente?

Não há um consenso entre os dermatologistas sobre a questão e a conduta muda também conforme a sensibilidade de cada paciente. Em geral para o dia a dia, mesmo no verão, se a pessoa vai ficar mais em lugares fechados essa sugestão de lavar bem e aplicar o filtro de maneira correta costuma ser suficiente para a maioria dos pacientes.

Mas se aparecer qualquer manchinha é bom falar imediatamente com seu médicos. Se isso ocorrer algumas estratégias podem ser empregadas:

1. Reduzir a concentração do ingrediente ativo no creme noturno,

2. Substituir o ingrediente fotossensível por um que não tenha esse problema. Por exemplo, o ácido retinóico pode ser substituído pelo ácido glicólico e a hidroquinona pelo ácido kójico. Essas alternativas são em geral menos eficientes mas por outro lado são mais seguros no verão. Assim é possível manter o tratamento (seja para acne, envelhecimento ou manchas) durante o período de sol mais intenso.

Outra recomendação é não usar esses ingredientes na noite da véspera da exposição ao sol intensa (na praia, por exemplo). Ou seja, se você é do tipo que quer tirar o atraso do Sol no final de semana, suspenda o uso dos cremes a base de hidroquinona e ácido retinóico nas noites de sexta e sábado, usando apenas de domingo à quinta-feira.

No verão a pele costuma ficar mais grossa devido ao suor, a umidade e a própria renovação celular. Então é super importante nessa época manter a esfoliação semanal, além de eliminar as células mortas e deixar a pele mais bonita ela facilita a penetração dos ingredientes ativos. Isso aumenta a eficiência do tratamento, mesmo em concentrações mais baixos ou com ingredientes menos ativos.

Outra dica importante é consumir bastante água no verão, para que a pele continue hidratada também de dentro para fora.

É importante lembrar também que não são apenas os cremes usados diretamente na pele que podem criar manchas na exposição ao sol. Vários antibióticos (como tetraciclinas) , antiinflamatórios, analgésicos (como a dipirona), anti-histamínicos e até diuréticos podem ser fotossensíveis e causar manchas ou reações alérgicas na pele e muitas vezes o filtro solar é quem leva a culpa! Portanto cuidado máximo ao se expor na pele após tomar qualquer tipo de remédio (já que é muito difícil conseguir saber qual é e qual não é fotossensível). Os anticoncepcionais também aumentam as manchas mas esse efeito advserso não é potencializado pela exposição ao sol.

Além dos cremes e dos remédios outros produtos também podem manchar a pele quando exposta ao sol. Entre eles os mais importantes são as frutas (especialmente as cítricas – cuidado com os sorvete!) e os perfumes. Então quando for a praia, aproveite o cheiro da maresia, ok?

Read Full Post »

A pele da Marina, da Mariana, da Fer, da Elisa, da Flavia, da Maria Ester, da Eloise, da Camila, da Nat, da Daniela, da Evelyn, da Rachel, da Alessandra, da Edi, e de mais um moooonte de gente dourada que mora nesse país tropical, abençoado por Deus e bonito por natureza!

Meninas, eu comecei a copiar e colar as rotinas de cada uma para ir analisando individualmente, como eu fiz com os outros tipo de pele, mas quando estava na metade já tinham duas páginas completas só com as rotinas! Então, achei que seria mais produtivo passar uma rotina básica e ir dando exemplos do que cada uma de vocês faz porque se não ninguém iria conseguir ler até o final. De qualquer maneira se ficar alguma dúvida específica que eu deixei de responder vocês perguntam, ok?

Num primeiro olhar esse pode parecer ser o pior tipo de pele de todos, já que têm todos os problemas: oleosidade, manchas, sensibilidade e ainda tendência a rugas. Mas o fato de ser uma pele complicada não significa que seja uma pele feia. Aliás, as OSPW costumam causar inveja na praia, já que são as que conseguem aquele bronzeado dourado que as não pigmentadas-pele-de-camarão como eu não ficam nem em sonho. E por ficarem tão lindas no sol que muitas acabam exagerando e adquirindo tendência às rugas.

Várias meninas nos comentários escreveram que não concordaram com algumas das classificações. Isso ocorre porque elas estão com uma pontuação baixa em algum critério e essa é a primeira dica para quem tem uma pele OSPW: priorizar o tratamento de um problema e aumentar a prevenção nos outros.

O que isso significa? Primeiro você deve identificar qual dos problemas está te incomodando mais no momento. Vamos supor que sejam as manchas. Então priorize o seu dimdim e o seu tempo tratando as manchas e adote cuidados que vão prevenir (e não tratar) as rugas, a sensibilidade e o excesso de oleosidade. É muito difícil e leva muito tempo (e muito dinheiro) querer tratar todos os problemas ao mesmo tempo. E esse é o maior problema que ocorre nos consultórios de dermatologia entre as pessoas que eu conheço. As meninas OSPW saem do médico com uma lista de produtos que mais parece compra de mês de supermercado. E, por não saberem ou que é mais importante, acabam deixando tudo de lado e o investimento na consulta acaba não sendo aproveitado. Então você OSPW quando for no dermatologista procure deixar bem claro o que te incomoda mais, o que te levou na consulta ao invés de ficar chorando as pitangas sobre todos os problemas 😉
Cuidados básicos para a pele OSPW (segundo o livro A Pele Saudável da Dra. Leslie Baumann) são:

De manhã: Lavar com um sabonete, aplicar um clareador, aplicar um creme para a área dos olhos (opcional), aplicar um filtro solar, aplicar um pó com filtro solar para absorver a oleosidade.

De noite: Lavar com o mesmo sabonete da manhã, aplicar um creme clareador, aplicar um produto com retinol ou ácido glicólico (ou ácido retinóico, com prescrição médica) ou um serum para vermelhidão e irritação, aplicar um creme para a área dos olhos (opcional), aplicar um creme hidratante (opcional).

Quem vai decidir se o opcional é necessário ou não é você sentindo a sua pele, a sua preguiça e o recheio da sua carteira. O básico é mais importante!

Dicas de produtos (nas fotos uma composição possível de cosméticos com boa relação custo-benefício e que não dependem de prescrição médica):

Cuidados básicos para pele OSPW pela manhã.

Cuidados básicos para pele OSPW pela manhã.

Para o sabonete:
Actine líquido R$ 24,40
Effaclar sabonete barra R$ 21,10
Dermax barra R$ 22,90
Suavié líquido R$ 34,00
Cetaphil barra para peles sensíveis R$ 25,93

Para o Clareador:
Klassis R$ 95,70
Melani D La Roche Possay R$ 134,60
Bi-White Advanced Vichy R$ 122,74
Melora D 4 R$ 169,12
Clariderm Clear Serum 30G loçao fluida FPS 18 R$ 36,20
Claripel acquagel (sob prescrição médica) R$ 32,64

Para o Protetor solar:
Minesol Actif gel creme FPS 30 R$ 59,29 (quem não tem a pele super sensível pode substituir pelo Sundown Beauty por R$ 24,61, isso se você conseguir encontrar porque está em falta em várias farmácias e eu espero que a Jonhson não tenha resolvido tirá-lo de linha)
Anthelios Hélioblock Fluide Extrême FPS30 – La Roche-Posay R$ 54,70

Para o Hidratante:
Água thermal Avene (com ativos antiinflamatórios) 150 ml R$ 47,60

Para Maquiagem com FPS indicada para peles sensiveis:
Dermage BLOCK COMPACT FPS 25 R$ 99,90
Toleriane Base Compacta 13 – La Roche Posay FPS 25 R$ 122,80
SOLESS PÓ COMPACTO FPS 36 UVA-UVB R$ 76,34

Noite:

Produtinhos bons para quem tem a pele OSPW usar de noite.

Produtinhos bons para quem tem a pele OSPW usar de noite.

Para clareador:

Melanesse H R$ 175,25
CLARITÉ LOÇÃO CLAREADORA DERMAGE R$ 49,90
Clariderm 2% Gel 30g R$ 37,03
Tri luma creme 30 g (sob prescrição médica) R$ 118,52
Glyquim XM (sob prescrição médica) R$ 42,13
Vitacid Plus (sob prescrição médica) R$ 51,54

Para os olhos (onde a pele é mais seca e a tendência à rugas se manifesta mais precocemente):
Active C Yeux La Roche Possay R$ 110,70
Improve dermage R$ 72,00
Liftactiv Pro Yeux R$ 110,14

Para tratar das peles muito sensíveis:
Cicaplast La Roche Possay R$ 51,70
Cicalfate Avene R$ 48,72

Muita gente nos comentários comentou sobre esfoliantes. Esse tipo de produto é complicado para as pessoas com a pele sensível (o Ionax Scrub, por exemplo não é muito recomendável), já que pode irritar demais a pele. No lugar dos esfoliantes a Dra Leslie recomenda as esponjas Buf Puf  que ajudam a remover as células mortas da pele. Elas são baratinhas, custam cerca de R$ 3,00 podem ser encontradas nas farmácias. Mas use com delicadeza, nada de ficar esfregando muito na pele!

Para quem tem acne, os produtos a base de peróxido de benzoíla podem ser interessantes. Mas use com cautela e suspenda se causar vermelhidão ou irritação excessiva.

O ácido retinóico pode ser uma boa opção (com prescrição) para controlar a oleosidade, mas ele não deve ser usado por pessoas com tendência a formar vasinhos no rosto. Para essas o ácido glicólico é mais indicado. Para diminuir a vermelhidão e os vasinhos, os tratamentos a base de luz intensa pulsada são uma boa escolha (em breve farei um post sobre o assunto).

As máscaras são uma boa opção para os problemas que não estão sendo tratados diariamente. A máscara de vitamina C em pó é uma opção boa para combater os radicais livres e postergar o envelhecimento (mas tome cuidado se a sua pele for muito sensível e com tendência a rosácea, nesse caso a vitamina C pode agravar os sintomas). Máscaras de argila também são uma boa opção para controlar a oleosidade se no dia a dia você está concentrada em combater as manchas. A máscara de argila e abacate da Freeman custa R$ 31,10 na época cosméticos e é uma boa alternativa.

Cuidados extras para dias de empolgação dos cuidados ou ocasiões especiais!

Cuidados extras para dias de empolgação dos cuidados ou ocasiões especiais!

Quem quer dica para fechar os poros e controlar a oleosidade antes de eventos importantes, uma opção legal é a máscara Biopur Pore Reducer One-minute Unclogging Mask da Biotherm. A máscara da Clinique Deep Cleansing Emergency Mask tem efeito semelhante. O preço é salgado (R$ 111,00 a da Biotherm e R$ 85,00 a da clinique na época cosméticos), mas como você não vai usar sempre, dura bastante.

Já para aqueles dias em que a pele amanhece vermelha e irritada, uma opção interessante é a máscara de pepino da purederm custa R$ 15,00.

Enfim, acho que em resumo é isso. Diariamente tratar os problemas que mais incomodam e prevenir os outros. Usar filtro solar SEMPRE, e nas ocasiões especiais ou quando a gente está com vontade de se fazer um carinho extra usar as máscaras para tratar aqueles problemas que ficam meio de lado. Ufa! 😉

Em tempo: a declaração da Mariana de ter deixado de fumar pelo que leu no blog foi um dos comentários mais legais que eu li no blog até hoje. É muito bom saber que esse trabalho ajuda não só na beleza mas na saúde das leitoras como um todo. Obrigada!

Read Full Post »

Os retinóides tópicos são os medicamentos mais utilizados para o tratamento da acne vulgar e entre eles a tretinoína, também conhecida como ácido retinóico (princípio ativo do Vitanol A e do Retin A), continua sendo o mais conhecido e prescrito.O grande problema da tretinoína são os seus efeitos colaterais, que não são poucos. Basta ir no post sobre ácido retinóico e ver os comentários: a maioria das pessoas vem pedir informações sobre como lidar com o excesso de ressecamento, vermelhidão e descamação da pele provocados pelo ácido retinóico.

Uma alternativa de tratamento é o adapaleno, que também é um retinóide, mas tem menos efeitos irritantes na pele. Um estudo divulgado ontem pelo Jounal of Adolescence Health  (jornal de saúde adolescente, clica no link que tem o artigo na íntegra), mostra as vantagens do uso desse medicamento, que no Brasil é vendido pelo nome comercial de Differin (do laboratório Galderma), mas que também existe na versão genérica. Ambos com concentração de 0,1% (nos EUA está disponível a concentração de 0.3% também).

Em comparação a tretinoína o adapaleno apresenta as seguintes vantagens:
• Provoca menos irritação na pele,
• Deixa a pele menos fotosensível no caso de uma exposição solar,
• Seu uso comcomitante com outros tratamentos contra a acne, como o peróxido de benzoila, é melhor tolerado.
• É mais estável à luz e oxidação em testes in vitro.

Assim como o ácido retinóico o adapaleno deve ser aplicado de noite,após a limpeza da pele, sobre a área afetada. De manhã deve-se lavar novamente a região e aplicar um protetor solar para evitar a exposição aos raios solares (igual ao que é recomendado para a tretinoína). Isso porque apesar dele deixar a pele menos sensível a exposição ao sol, ainda assim há um risco aumentado de formação de manchas na pele devido ao Sol, da mesma maneira que ocorre com o ácido retinóico.

Segundo o estudo, a eficácia do adapaleno na concentração 0.1% é comparável a da tretinoína a 0.025%, enquanto o adapaleno a 0.03% se compara a tretinoína a 0,1%.

No site acne.org a avaliação do Differin é de 3,1 para eficiência, 3,4 para confiabilidade e 3,4 para preço (sendo a nota máxima 5). No mesmo site a tretinoina recebeu as notas 3,2 para eficiência 2,9 para confiabilidade e 3,5 para preço. 

Se você tem acne e não se adaptou a tretinoina, o adapaleno pode ser uma alternativa, fale com seu médico.

Se você tem acne e não se adaptou a tretinoína, o adapaleno pode ser uma alternativa, fale com seu médico.

O preço é um pouco diferente aqui no Brasil. Enquanto 30 g do Differin custa R$ 39,14 na Onofre, o Vitanol A sai por R$ 20,15, também 30 g.

Caso você tenha desistido de usar o ácido retinóico por causa dos efeitos colaterais acho que vale a pena conversar com o seu médico sobre essa alternativa. Mas é importante ressaltar que ambos os produtos, tanto a adapaleno quanto a tretinoína são remédios, possuem efeitos colaterais e não devem ser usados sem prescrição médica. Na gravidez o adapaleno está na categoria C (ou seja, estudos em animais tem demonstrado que esse medicamento pode ter efeitos prejudiciais em embriões, mas não há estudos conclusivos em humanos) e portanto normalmente não é indicado para gestantes.

Read Full Post »

A Ciça uma das nossas leitoras-top do blog sugeriu há tempos atrás na comunidade do Bulle no Orkut (entra lá) um post sobre como maximizar o efeito dos cremes para o rosto. A dúvida dela era mais ou menos assim:

 

Qual é o tempo de ação dos cremes após aplicado na pele, ou seja, se eu aplicar um creme na pele às 7h da noite, e lavar o rosto 11h para aplicar outro, por exemplo, eu terei disperdiçado produto?

Os valores que eu vou apresentar aqui são uma média já que eles dependem muito da pele de cada pessoa: peles mais finas absorvem mais rapidamente do que peles mais resistentes e peles mais jovens metabolizam mais rápido do que peles mais idosas. Os fatores ambientais também têm influência já que de uma maneira geral quanto mais sol, luz e calor, menor a meia vida dos cremes porque, ao contrário das pílulas, eles ficam expostos ao ambiente antes de serem absorvidos.

calor e suor dimunem a meia vida dos cremes no rosto.

calor e suor dimunem a meia vida dos cremes no rosto.

Então em valores aproximados a meia vida dos principais ingredientes é a seguinte (entende-se por meia vida o tempo que leva para a concentração do produto cair para a metade, ou seja, o efeito total pode ser prolongado e, simplificando, fica próximo do dobro da meia vida).

Ácido Retinóico: 50 minutos
Ácido Glicólico: 30 minutos
Ácido Salicílico: 2-3 horas
Hidroquinona: 12 horas
Vitamina C: 4 dias
DMAE: 3 horas
Filtros solares químicos: 2 horas

Mas aí ela fez outra pergunta: Pode usar junto?

De uma maneira geral os ácidos podem ser usados de maneira combinada, mas é preciso atenção já que a combinação dos ácidos aumenta a sua potência, podendo irritar muito a pele. É possível também combinar hidroquinona tanto com ácido retinóico (fórmula do Tri-luma) quanto com ácido glicólico (forma do Glyquim xm). A vitamina C também pode entrar na formulação dos cremes noturnos ou pode ser usada pela manhã junto com os filtros solares.

O ácido salicílico tem o efeito de procovar uma esfoliação na pele, então ele deve ser usado antes dos outros uma vez que a esfoliação ajuda na penetração e atuação dos outros ingredientes. O peróxido de benzoila (usado no tratamento da acne, pode ser combinado com os ácidos, mas isso também aumenta o risco de vernelhidão e desmação excessiva da pele)

Banho morno e esfoliação leve ajudam na penetração e melhoram a efetividade dos cremes na pele.

Banho morno e esfoliação leve ajudam na penetração e melhoram a efetividade dos cremes na pele.

Algumas dicas são legais para maximizar o efeito dos nossos creminhos:
– Passe o creme depois de um banho morno (que ajuda a abrir os poros para receber os produtos).

– No banho faça uma esfoliação leve, com sabonetes líquidos a base de ácido salicílico (ajuda a limpar os poros e facilita a absorção).

– Uma leve massagem para passar os cremes ajuda na penetração além de ser um carinho para o seu rosto.

– Não deite antes de meia hora depois passar os cremes (se não o seu travesseiro é que vai ficar lisinho…).

– Depois de cerca de meia hora de ter passado um creme a pele pode absorver outro, mas fique atenta para não irritar demais a pele com vários ingredientes combinados. Na dúvida consulte um dermatologista.

– Fazer uma preparação da pele com ácido glicólico ou hidroquinona (dependendo do problema) antes de peeling químicos ajuda a melhorar os resultados do procedimento.

– Guarde os produtos em local, fresco, seco e de preferência longe da luz (a pia do banheiro definitivamente não é o melhor local).

– Os produtos a base de ácido retinóico e hidroquinona devem ser retirados pela manhã antes de aplicar o filtro solar, o residual que fica na pele deixa a pele foto-sensível e pode aumentar as manchas.

– Os filtros solares devem ser aplicados meia hora antes da exposição (para começarem a fazer efeito) e reaplicados a cada 2 horas. Existem hoje protetores que garantem uma proteção por 8, até 12 horas (mas não confie nela se estiver muito sol, se você transpirar muito e se entrar na água, tudo isso diminui o efeito). Claro que ninguém vai ficar reaplicando o filtro solar a cada 2 horas todos os dias, mas pelo menos na hora do almoço é legal reaplicar, ou no mínimo, completar a proteção com um pó compacto contendo FPS.

Read Full Post »

Já falei aqui no blog sobre as indicações e o funcionamento do ácido retinóico . Dado o grande interesse do respeitável público em saber mais sobre o assunto (o post de ácido retinóico é o mais visitado do blog – valeu Ciça!) decidi falar então sobre outros ingredientes que são parecidos, mas que tem características diferenciadas, e escolhi o ácido glicólico para começar.O ácido glicólico é um alfa-hidróxi-ácido (ok, o que exatamente isso significa não faz muita diferença). Assim como outros ácidos orgânicos como o lático, tártarico, cítrico e o málico, ele é derivado de alimentos, no caso da cana-de-açúcar. Entre os outros ácidos citados, o glicólico é o que tem a menor estrutura molecular e assim, melhor absorção pela pele.

O ácido glicólico puro tem pH (índice de acidez) próximo a 1,0 (ou seja, ele é muuuito ácido), e por isso tem que ser neutralizado (isto é, diluído) para ser usado dermatologicamente (ou não seria tolerado pela pele).

Vem da cana-de-açúcar um dos ingredientes mais usados pelos dermatologistas.

Vem da cana-de-açúcar um dos ingredientes mais usados pelos dermatologistas.

O ácido glicólico tem o poder de atuar aumentando a estrutura da epiderme (a camada mais externa da pele), da derme, e do colágeno, sendo eficiente para reverter os danos causados pelas cicatrizes da acne, bem como do fotoenvelhecimento cutâneo (melhora da textura e coloração e diminuição das rugas). O ingrediente também tem ação esfoliante, assim, além de estimular as células mais jovens, ele também ajuda a penetração de outros produtos na pele (como a vitamina C , por exemplo). Além do rosto o produto também pode ser usado no corpo para redução das estrias recentes (aquelas vermelhas).

Ao contrário do ácido retinóico, (que é sempre considerado medicamento e toda vez que aparecer na composição de um produto ele passa a ser considerado um medicamento e necessita, portanto, de prescrição médica) o ácido glicólico dependendo da sua concentração pode ser encontrado em cosméticos, em dermocosméticos (com eficácia comprovada através de estudos clínicos) e medicamentos. O ingrediente pode ainda ser usado em procedimentos realizados por médico dermatologistano consultório como peelings superficiais e médios.

Se comparado ao ácido retinóico, o glicólico costuma oferecer menos efeitos colaterais e, em contrapartida, ser menos eficiente. Ele é especialmente indicado para pessoas que tendência à formação de talangeictasias (que são pequenas varizes avermelhadas que aparecem na pele) já que elas aumentam com o uso de ácido retinóico (clique e leia estudo completo sobre o assunto se quiser se aprofundar).

Assim como diversos outros ácidos, inclusive o retinóico, a pessoa que está usando produtos a base de ácido glicólico deve evitar ao máximo a exposição ao Sol e usar sempre protetor solar .

Diacneal da Avéne é um dos dermocosméticos que contém Ácido Glicólico na sua composição.

Diacneal da Avéne é um dos dermocosméticos que contém Ácido Glicólico na sua composição.

Como peeling superficial o ácido glicólico pode ser usado nas concentrações entre 40 e 70%, devendo permanecer na face por cerca de 5 minutos, sendo depois neutralizado. Para um peeling médio ele pode ser usado na mesma concentração por um tempo maior (não passando de 20 minutos), segundo o site da dermatologista Denise Steiner .
No mercado existem diversos produtos contendo o ácido glicólico, além daqueles que podem ser formulados pelos médicos.
O medicamento comercial pronto mais conhecido é o Glyquin XM que contém ácido glicólico a 10% e hidroquinona (um agente clareador) e é especialmente indicado para clareamento de manchas como melasma .

Entre os dermocosméticos é bastante prescrito o Diacneal da Avéne , que contém ácido glicólico a 6% (eu uso é gosto bastante!). Tem também o Dermage Clarité peeling off , entre uma série de produtos que contém o ingrediente na sua composição.

É importante sempre lembrar que apesar de existirem diversos cosméticos e dermocosméticos contendo o ácido glicólico em sua composição o ideal é que esses produtos sejam prescritos por um médico dermatologista (o que é obrigatório no caso dos medicamentos). Ele pode avaliar se o produto é mesmo o melhor para o seu tipo de pele, bem como qual a concentração é a mais adequada, afinal usar a sua pele como pista de teste de produtos de beleza não é uma boa idéia, né?

Read Full Post »

A origem do uso do ácido retinóico está na descoberta da vitamina A no início do século XX. Temos necessidade diária de um consumo de 5.000 unidades de vitamina A, facilmente encontrada em vegetais amarelos e verdes. A deficiência da vitamina A provoca visão embaçada e faz com que a pele fique seca, avermelhada e descamada.

Durante a década de 30 a vitamina A foi utilizada em altas doses para tratar doenças da pele, mas seus efeitos colaterais (como dor de cabeça, zunido no ouvido, lábios cortados e ressecados, dores articulares e queda de cabelo) além da toxidade no fígado se usada em altas doses limitaram o seu uso.

Vegetais como a cenoura são uma fonte natural de Vitamina A, de onde vem o ácido retinóico.

Vegetais como a cenoura são uma fonte natural de Vitamina A, de onde vem o ácido retinóico.

Devido a essa alta toxicidade é que a vitamina A natural em altas doses foi abandonada e se começou a buscar derivados sintéticos. A Isotretinoina oral foi o primeiro derivado sintético da vitamina A aprovado nos EUA para tratamento da acne cística. Na mesma época o etretinato foi liberado para tratamento da psoríase.

Diferentemente desses dois derivados citados o ácido retinóico (tretinoina) é um metabólico natural da vitamina A. É a vitamina A ácida, a principal forma da vitamina encontrada na pele. Seu efeito se dá sobre o DNA da célula da pele, aumentando a capacidade de renovação da pele.

O primeiro uso do ácido retinóico tópico foi para o tratamento da Acne, com o tempo os pacientes relataram uma diminuição nas rugas, especialmente as mais finas, com o uso prolongado do medicamento.

Com a experiência clínica foi-se percebendo que todos os efeitos do fotoenvelhecimento (envelhecimento da pele devido à exposição ao Sol) podem ser diminuídos com o uso prolongado do ácido retinóico em gel ou creme. Ou seja, pode-se diminuir manchas e rugas. Além disso a pele fica mais fina, com uma coloração mais rosada, parecendo mais jovem. As células com pigmento são melhor distribuídas e diminui o agrupamento de tecido elástico com regeneração do colágeno.

Como efeitos adversos, principalmente depois das primeiras aplicações, o produto pode trazer ressecamento, vermelhidão e descamação da pele.

O grande problema do ácido retinóico é a que ele aumenta a sensibilidade da pele ao Sol: os pacientes devem usar filtro solar com FPS alto, aplicar o produto à noite e interromper o tratamento pelo menos 48 horas antes de se expor ao sol.

Na verdade o ácido retinóico deixa a pele mais sensível a tudo, especialmente perfumes e cosméticos, então durante o tratamento deve-se limpar a pele com sabonete neutro.

Tratamentos com ácido retinóico precisa de acompanhamento médico.

Tratamentos com ácido retinóico precisa de acompanhamento médico.

Existem derivados do retinóico com ação semelhante e menos restrições, como o tazacopeno. ”Os resultados são iguais e não há fotossensibilidade, mas ele não é encontrado no Brasil, e por isso o preço é alto”, comenta Otávio Macedo.

Além do tratamento para acne e para combater os efeitos do envelhecimento, o ácido retinóico também é usada no tratamento de estrias , e os bons resultados aparecem especialmente nas estrias mais recentes, de coloração avermelhada.

É importante lembrar que o ácido retinóico é um medicamento que necessita de prescrição e um acompanhamento constante de um dermatologista. Já o Retinol (nome que se dá a forma álcool dessa vitamina) pode ser usado em cosméticos (sem prescrição) e com efeitos bem menores se comparados ao ácido retinóico.

Na gravidez e na amamentação, o ácido retinóico é proibido: passa pelo leite, causa malformação no feto e pode afetar o desenvolvimento do bebê. Os resultados não são imediatos, deve-se usar o produto constantemente por pelo menos 6 meses para ver bons resultados.

Uso doméstico – O ácido retinóico não pode entrar na formulação de cosméticos, mas pode ser prescrito pele dermatologista para uso em casa, em concentrações baixas como 0,025% e 0,05%. Por ser extremamente fotossensível, só pode ser usado á noite.

Uso em consultório – O retinóico já foi mais requisitado para peelings, em concentrações de 1% a 5% em sessões semanais. Hoje, com a concorrências de substancias mais modernas e rápidas, ele esta sendo mais utilizado para complementar a ação de outros ácidos ou peelings.
Os medicamentos com ácido retinóico podem ser prescritos na forma manipulada, com a concentração ideal para cada tipo de pele e fase do tratamento. Existem duas formulações comerciais com o composto: o Vitanol A e o Retin-A

Além do uso estético, por atuar no DNA celular o ácido retinóico também tem sido usado de maneira promissora no tratamento de formas de câncer especialmente na pele e na bexiga (mas há estudos sendo feitos com sua aplicação também em outros tipos de tumores). Para mais detalhes sobre os usos da vitamina A e seus derivados em dermatologia e oncologia entre aqui.

– Veja mais sobre tratamentos para acne aqui e aqui

– Veja mais sobre tratamento contra estrias aqui

– Veja mais sobre tratamentos contra rugas e envelhecimento aqui e aqui

Read Full Post »

Alterações na pele durante a gravidez são muito comuns. Então, atendendo a pedidos, vou começar uma série de posts (não na seqüência, até porque ficaria cansativo) sobre as principais alterações estéticas causadas pela gestação. 

Como continuar linda durante e depois da gravidez

Como continuar linda durante e depois da gravidez

Vou começar falando das estrias porque é a alteração estética mais comum durante a gravidez atingindo 90% das mulheres (nossa, fiquei até feliz por saber que dessa vez eu faço parte das 10% que não têm).

Na gravidez as estrias aparecem principalmente na barriga, por razões óbvias, mas podem aparecer também nos seios (o que é bem comum também durante a adolescência) e em outras partes do corpo (principalmente se a pessoa engorda muito em um curto período de tempo).

As estrias são lesões causadas pela degeneração das fibras elásticas da pele que ocorrem por sua distensão exagerada ou devido a alterações hormonais. É como se o elástico da pele esticasse ao ser puxada muito forte.

Como evitar?

O surgimento das estrias depende de uma tendência pessoal. Algumas pessoas as desenvolvem mesmo com pouca distensão da pele e outras não desenvolvem estrias nem na gravidez, quando a distensão da pele é muito grande, portanto a genética é um fator muito importante, se a sua mãe tem estrias provavelmente você também não vai escapar.

De acordo com o site dermatologia.net recomenda-se a hidratação intensa da pele com cremes e loções hidratantes para tentar evitá-las, principalmente em pessoas com histórico familiar de estrias. Deve-se beber pelo menos 8 copos grandes de água por dia (2 litros) e evitar engordar demais e rapidamente, eliminando doces e gorduras da dieta e praticando exercícios físicos regularmente.  

Hidratar por dentro e por fora é importante para (tentar) evitar as estrias na gravidez.

Hidratar por dentro e por fora é importante para (tentar) evitar as estrias na gravidez.

Eu usava durante a gravidez um produto delicioso da Clarins  

Como tratar?

As estrias são lesões irreversíveis e portanto não existe um tratamento que faça a pele voltar ao que era antes. Os tratamentos visam melhorar o aspecto das lesões, estimulando a formação de tecido colágeno subjacente e tornando-as mais semelhantes à pele ao redor.

Até o parto e durante o período de amamentação o que os médicos costumam indicar, conforme o estudo sobre dermatoses na gestação são cremes hidratantes ou de algas marinhas com uréia a 5% e éster de vitamina C 0,05 a 1% para massagens diárias nos locais mais freqüentemente acometidos. Emolientes calmantes como a calamina podem também ser indicados se há coceira na região.

Depois desse período várias técnicas podem ser empregadas, entre elas:

  • Tratamento com ácidos: alguns tipos de ácidos, especialmente o ácido retinóico, estimulam a formação de tecido colágeno, melhorando o aspecto das estrias. Pode haver descamação e vermelhidão e a concentração ideal para cada caso deve ser definida pelo dermatologista, de acordo com o tipo de pele. Deve ser evitada a exposição solar. Um estudo de 2001 avaliou o uso da tretinoina creme (0,1%) utilizado por 20 mulheres, durante 3 meses, diariamente, em estrias causadas pela gravidez e demonstrou uma boa resposta dessa terapia na melhora do aspecto da pele. Um outro estudo  anterior havia demonstrado a ineficácia do tratamento com concentração menor (de 0,025%) então é importante ficar atenta e essa questão. A tretinoina, ou acido retinóico também tem boa ação em cicatrizes causadas pela acne .
  • Peelings: os peelings tem a mesma ação dos ácidos, no entanto, de uma forma mais acelerada e intensa, geralmente levando a um melhor resultado. Também deve ser evitada a exposição solar.
  • Subcisão (subcision): esta técnica consiste na introdução de uma agulha grossa, com ponta cortante, ao longo e por baixo da estria, com movimentos de ida e volta. O trauma causado leva à formação de tecido colágeno no local, que preenche a área onde o tecido estava degenerado. Provoca equimose (mancha roxa), que faz parte do tratamento, pois a reorganização do sangue também dá origem à formação de colágeno. Um estudo  feito em 2005 por uma equipe mexicana, com 14 pacientes não chegou a bons resultados com o método. Apenas 3 dos pacientes tiveram uma melhora no quadro com o procedimento. Apesar de um grupo ser pequeno esse foi o único estudo realizado avaliando a subincisão e que acabou por não recomendar o método no tratamento das estrias.
  • Dermoabrasão: o lixamento das estrias provoca reação semelhante à dos peelings, com formação de colágeno mas com a vantagem de regularizar a superfície da pele, que ganha mais uniformidade, ficando mais semelhante à pele ao redor. Segundo o site da dermatologista Denise Steiner  a dermoabrasão também constitui técnica válida, promovendo estímulo para a reorganização dos tecidos da estria. Deve ser feita muito suavemente, sem provocar sangramento, com lixa de diamante, a intervalos semanais. Geralmente é associada a intradermoterapia. Existem diversos estudos que comprovam a eficácia da técnica no rejuvenescimento da pele mas nada específico em relação ao tratamento das estrias.
  • Intradermoterapia: consiste na injeção ao longo e sob as estrias de substâncias que provocam uma reação do organismo estimulando também a formação de colágeno nas áreas onde as fibras se degeneraram. Além disso, a própria passagem da agulha provoca uma discreta subcisão. Também não encontrei nenhum estudo que avaliasse essa técnica cientificamente no tratamento das estrias.
  • Laser: a aplicação do laser provoca o fechamento dos pequenos vasos nas estrias avermelhadas e promove a formação de novo colágeno, com diminuição do tamanho das estrias recentes ou antigas. Um estudo recente de 2008 com 20 mulheres feito por um grupo brasileiro de Porto Alegre, demonstrou a eficiência do laser no tratamento das estrias vermelhas, 55% das pacientes consideraram o tratamento excelente contra 40% dos médicos que as avaliaram.
  • luz intensa pulsada (IPL) é uma luz diferente do laser emitida por um aparelho de banda larga. A sua eficácia é conhecida para o tratamento contra o envelhecimento na promoção de colágeno e ordenamento das fibras elásticas. Um estudo de 2002 feito por um grupo de El Salvador com 20 mulheres comprovou boa eficácia do procedimento no tratamento das estrias após 5 sessões quinzenais de tratamento.
Para melhorar (mesmo!) as estrias normalmente são necessários vários tratamento.

Para melhorar (mesmo!) as estrias normalmente são necessários vários tratamento.

Estes são procedimentos médicos e apenas os médicos devem realizá-los, indicando o que for melhor de acordo com cada caso. Os melhores resultados costumam aparecer com a associação de mais de um método.

Para saber mais:

  •  Uma matéria de 2005 da revista Boa Forma traz uma reportagem interessante com entrevistas com vários dermatologistas famosos a respeito do tratamento contra estrias. Vale a pena dar uma olhada.
  • No site do dermatologista Otavio Macedo, autor do livro A construção da beleza também tem uma página  interessante sobre estrias para quem quiser ler mais sobre o assunto.

Read Full Post »